A iluminação torna o ambiente funcional, valoriza a arquitetura e a decoração, e também transmite sensações tornando o momento ainda mais agradável. Portanto, um bom projeto luminotécnico faz toda a diferença, mas cada recinto possui uma necessidade que varia conforme a finalidade do local, ou seja, a mesma iluminação nem sempre funciona em todos os lugares. 

Alguns fatores como temperatura de cor e fluxo luminoso influenciam na composição do espaço, por isso, separamos algumas informações para ajudá-lo na compra de lâmpadas e luminárias. 

Potência

A potência é a unidade de medida que aponta quanta energia elétrica uma fonte luminosa consome ao fornecer luz, embora esteja relacionada à intensidade da luz, não é o parâmetro de medida da intensidade luminosa.

Fluxo Luminoso

Uma boa iluminação propicia inúmeros benefícios ao bem-estar, por isso um dos pontos essenciais é entender a quantidade de luz necessária para cada ambiente. Nesse ponto, o fluxo luminoso é um fator decisivo, pois indica a luz total produzida por uma fonte luminosa, ou seja, a quantidade de luz que uma lâmpada ou luminária emite.

Temperatura de cor

Apesar do nome, a temperatura de cor não tem relação com emissão de calor, e sim com a característica da luz que é visível ao olho humano, ou seja, é o aspecto de cor produzido por uma fonte luminosa. Quanto mais alta a temperatura de cor, mais azulada é a cor da luz emitida e quanto mais baixa mais amarelada é a cor da luz.

A temperatura de cor é muito mais do que apenas efeitos estéticos, pois é capaz de transmitir sensações, interferindo no rendimento das atividades cotidianas, no sono e em nosso bem estar.  Sua unidade de medida é o Kelvin (K).

  • Luz Quente (2700K a 3000K): aconchegante, transmite uma sensação íntima e agradável, recomendada para atividades de relaxamento e ambientes de convívio social. Por isso, é ideal para quartos, salas, áreas de lazer e recepções.
  • Luz Neutra (4000K a 5000K): indicada para ambientes em que são executadas atividades que necessitem de níveis moderados de atenção, como cozinhas, banheiros e escritórios.
  • Luz Fria (6500K): recomendável para lugares onde são realizadas atividades que demandam atenção e alerta, por exemplo, hospitais, farmácias e clínicas.

Índice de reprodução de cor (IRC)

O IRC expressa a capacidade de uma determinada fonte luminosa artificial reproduzir as cores em relação à luz natural do sol. Sua escala varia de 0 a 100, tendo como padrão de referência a luz solar, quanto maior o IRC, isto é, mais próximo de 100, mais fiel é a reprodução de cores.

Portanto, um IRC entre 90 e 100 é considerado de excelente qualidade, já igual ou maior a 80 é considerado de boa qualidade e abaixo disso é considerado de baixa qualidade.

Índice de proteção (IP)

O IP é a classificação dos níveis de proteção dos produtos contra objetos sólidos, poeira, exposição e submersão a líquidos. É ele que indica se o produto pode ser usado em ambientes internos, externos ou em ambos.

Todos esses pontos são essenciais, entendê-los é importante para criar a iluminação ideal de cada ambiente. Mas lembre-se, envolver um profissional da área é a estratégia mais eficaz para evitar uma iluminação inadequada.